quinta-feira, março 28, 2019

Sinto-me só

As minhas lágrimas sangram com tanta tristeza e dor que carrego como se todos os dias a minha alma fosse levada para longe de mim para ser executada.

Queria que a minha alma voltasse para dentro de mim e fizesse sentir nas nuvens sorrindo para aquela luz de felicidade que tornou-se cinzenta.

Sinto-me só e perdida sem um pequeno rasto de cumplicidade com a vida, estou vivendo sem interesse de encontrar a descoberta da felicidade.

Sinto-me presa nesse enrolo de pensamentos e sentimentos ruins que apertam o meu pescoço, sinto que vivo na expectativa de alcançar o prêmio de poder ser apreciada, tocada, respeitada, amada, cuidada e o vulnerável a essa dor intensa que é causada dentro de mim.

Resta em mim correr num campo de trigo infinito escolhendo estar sozinha de olhos secos, sorriso estampado e uma vontade de respirar o que falta em mim.

Sinto-me só, com medo de nunca melhorar, com medo de estar presa sem poder ver, com medo cair e não poder levantar, com medo de gritar e nunca mais poder falar, com medo de ser alguém e mesmo assim ninguém notar a minha existência.

Uma existência pequena e frágil, tenho medo de não voltar em mim, de continuar com o choro preso com medo de libertar assim como quero chorar e limpar-me com as minhas lágrimas como purificação.

Finalmente, ser aceite e ser a pessoa apropriada para viver neste pequeno mundo, de poder espreitar pela janela ver o mundo lá fora que chama por mim, mas como idiota que sou baixo a cabeça, fecho a janela e digo que não posso sair.

Sinto-me só e confusa, de estar viver um amor que não me pertence, cantar uma música que não foi escrita, escrever um texto que não foi lido, pintar o céu sem existirem cores, olhar sem poder ver, beijar sem poder sentir, abraçar sem ter braços para abraçar e aventurar nesta terra sem ter um rumo.

Sinto-me só, por não poder ser o melhor de mim, não poder sentir completa como se fosse um peso, não poder fazer o bem, não poder consertar o tempo e não saber como algum dia irei deixar de chorar com a minha amiga solidão.

quarta-feira, março 13, 2019

Suficiente para amar

No meio da madrugada surges na minha mente num ápice talvez no momento certo.

Penso na alternativa de saber se conheço o suficiente para poder amar-te, poder aconchegar-te, trazer-me um pouco de esperança e tranquilidade, coisas boas melhor que amar-te apesar que eu queira.

Gostava de não acordar com os questionamentos e a vontade que tenho de poder continuar a perseguir todos os meus desejos.

Queria saber amar mesmo sem poder tocar, sem saber expressar e estar longe de perder noites contigo no meu pensamento.

De noite queria tirar a roupa diante dos teus olhos para saberes apreciar, mas durante o dia que me olhasse nos meus olhos, soubesses medir a minha inteligência como algo sensual, queria que me abraçasses com vontade e agarrasses a minha mão com todo o respeito que sentes por mim.

Por vezes, sinto-me perdida nesse meio de tesão que transmites, mas na verdade, não procuro apenas uma "boa foda", quero horas perdidas e valorizadas com conversa gostosa.

Ás vezes tanto desejo ser tua como amar-te no anonimato, no silêncio que faz o meu corpo guardar tudo o que gostaria de partilhar apenas contigo, entendes?

É confuso.

sexta-feira, março 08, 2019

Quem sou eu?

Minha alma está desencontrada por muito tempo, estou vazia sem um espaço preenchido.

Habituei-me tanto a dar, a ver outros desfrutaram, a ver os outros sorrirem, a ver os outros renascerem que esqueci-me de mim.

Quem sou eu?

Estou demasiado a acostumada a estar sem estar presente, a ver sem poder observar o que poderia estar a minha frente, passei a tocar corpos por tocar esquecendo que o meu estava ali á espera de um pouco de carinho,cuidado, tranquilidade e adrenalina.

Caminhei distâncias na minha mente para chegar onde queria, mas a certo ponto deixei de ter um completo comando sobre mim e todas as cores amarelas, vermelhas e verdes começaram a ficar meio turvas, os meus olhos abertos queriam estar cerrados de sangue por ter secado todas as lágrimas que esgotei esperando que tudo iria ficar bem, a minha voz foi arrancada de mim com todas pedradas que o meu coração levou durante esse tempo todo.

Esqueci de existir com todas as possibilidades e oportunidades que insisti colocar no colo de outras pessoas esperando que fossem salvar, mas eu sei que estavam lá no topo vendo a minha queda com um sorriso nos lábios, uma raiva localizada dos pés á cabeça e uma vontade solitária de mandar-me embora.

Estou perdida, sem forças e não consigo levantar-me os meus maus pensamentos estão a prender-me ao chão como uma lama preta que vai cegando e fazendo com que eu não saiba que para além disto existe vida lá fora, existe felicidade, alegria, não existe tristeza, raiva, lágrimas, perdição,dor e desilusão.

Eu devia saber que tudo isto iria acontecer, o meu coração avisou-me tantas vezes enquanto eu dançava nesses jardins vestida de branco com rosas no colo e o calor do sol nas minhas costas e o sabor do vento na minha boca, até ao dia em que todo aquele jardim secou e eu fiquei secando junto com ele até toda essa tesão momentânea acabar comigo.

Até que a minha boca foi cozida porque a minha voz não deveria existir mais.



quinta-feira, fevereiro 21, 2019

Gostinho de felicidade

Num mundo de infelizes, de promessas garantindo felicidade e de pequenos ultimatos de esperança, chegas tu sem promessas e fazes-me feliz.
 No meio desse mundo infeliz aí achei que realmente posso ser feliz, posso saborear um pouco desse gostinho. 
Deixo-me levar por essa onda de protestos na minha cabeça e questionamentos, mas com um sorriso enorme, coração cheio, pele macia e agradecida.
Estou grata meio tremendo em poder sentir-me bem de novo, em poder ser essa mulher que sou, sem medo. 
Apenas feliz, grata pelo abraço, grata pela preocupação, a saudade e a presença forte de mais para aquecer a minha alma, acalmar a minha voz, adormecer a minha mente e querer acordar de novo e estares aqui. 
É isso!

domingo, fevereiro 10, 2019

Querido amigo

Querido amigo,

Apesar de ter demorado tanto tempo a escrever-te talvez porque era mais difícil tentar descrever-te os meus pensamentos, os meus sentimentos e principalmente a minha a dor.

Lembro-me das muitas vezes em que via-te a sorrir e das muitas vezes em que realmente pude ajudar quando a vida não estava a sorrir para ti.

Foi bom ter feito parte da vida mesmo que o tempo tenha encurtado o nosso caminho.

Gostei do tempo em que fomos amigos e de poder sentir o mesmo olhando nos teus olhos porque agora já não consigo lembrar-me nem de cor deles, nem do seu tamanho e nem da sua expressão. 

O meu coração ficou despedaçado em perceber que viraste-me as costas e deixaste-me presa com o meu silêncio.

Parece que deixaste a raiva, o ódio e os maus pensamentos sem cabimento tomarem conta da tua mente.

Sofri e chorei demais porque realmente soube reconhecer que eu valorizava mais a nossa amizade, eu não mudei, eu continuo nos mesmos lugares com os meus valores, mas mais uma vez desiludida.

Talvez continuo sem ver que de certa forma a nossa amizade começou a fazer-me mal, de maneira muito tensa algo que não deveria acomtecer, mas entre segredos e risadas eu estava a ficar doente e não estiveste lá para amparar a minha queda.

Lembro-me que o meu presente de aniversário para ti foi apenas um pequeno gesto, um presentinho pequenino de apenas desejar boa sorte.

E se fosse a última coisa que poderia dizer-te é que não odeio-te, eu desejo-te tudo de bom porque no tempo em que éramos amigos aprendi muita coisa e depois disso mais lições tirei.

Tentei localizar a dor que senti por ter perdido na busca da minha felicidade, em concentrar na realização dos meus sonhos, e também deixar de partilhar demasiada coisa da minha vida e talvez foi quando eu parei de fazer isso passei a escutar a minha voz interior.

A minha voz interior falava comigo e dizia-me o tempo todo que eu iria magoar-me e os julgamentos que tu tinhas depositado na minha mente simplesmente deixaram de existir, e agora encontro-me em paz e silêncio.

Não tenho que preocupar mais se as pessoas pensam tal coisa ou se falam, eu simplesmente coloquei na minha mente que eu quero saber da minha vida, não quero falar nem saber do que não me diz respeito.

Não quero contribuir em histórias destrutivas e acabar como eu acabei magoada apenas quero estar em paz de espírito, acabar o meu dia e agradecer por tê-lo vivido.

Agradeço o bem e o mal que fizeste, mas eu acabei por seguir em frente e decidi ser feliz assim.