terça-feira, junho 22, 2021

Sem conserto

Imagem retirada do tumblr


Comecei a rastejar-me de novo, talvez de um forma diferente desta vez parecia que estava a recuar no tempo.
Certamente, eu conseguia ser compreendida apenas por mim própria assim como eu conseguia ser a minha pior e única inimiga.
Acho que não existe coisa pior que nós próprios sermos a razão de a nossa saúde mental estar completamente desorganizada, sermos a razão de conseguir chamar os nomes mais horrendos em relação ao nosso corpo.
Ás vezes, eu sinto que nessa minha queda emocional, eu nunca vou conseguir ser feliz enquanto não alcançar os meus objetivos porque eu própria proponho a minha mente de ter estes pensamentos.
Eu sou a primeira a detestar-me de tal forma acreditar que a minha existência de nada vale.
Eu sou a primeira a dizer-me para desistir dos meus sonhos porque eu acho que ninguém vai ver-me e ninguém irá escutar-me.
Detesto sentir esta vulnerabilidade ao mesmo tempo, mas sinto que não tenho muitas alternativas para consertar o meu ser.
Parece que não tenho conserto...

terça-feira, maio 04, 2021

Caminhando sobre os meus cacos

Quero um lugar para eu fugir, um lugar onde eu possa correr sem medo de ser feliz.
Caminhei por dias com a minha mente confusa.
Sentindo como se alguém estivesse apertando o meu pescoço com tanta força que eu deixava de sentir o oxigénio chegar á minha cabeça.
Quanto mais eu caminhava parecia estar afastar-me de mim própria, eu tinha uma força que estava a levar-me enquanto eu implorava por ajuda.
O público que estava assistir-me e nada fazia, pareciam estar mais preocupados em bater palmas com cada pancada que dava durante a vida.
Outros estavam hipnotizados pela minha luz que desvanecia.
Não estavam sequer preocupados em escutar-me, não entendiam como eu já estava cansada de escutar os outros sem ser compreendida.
Entregue á melancolia não vi outra alternativa a não ser deixar de ser eu, e poder fugir como uma desconhecida talvez para nunca mais ser encontrada.
Sinto os cacos das minhas inseguranças cortarem-me os pés, dói tanto. Não consigo evitar, não consigo parar tudo isso porque ainda não sei o que é amar-me sem magoar-me.

terça-feira, abril 20, 2021

Reescrever a minha história

Olho para o céu e procuro a paz que só ele tem.
Não sei se no céu realmente tem alguém a olhar por mim, mas se tiver eu peço que me protega, e eu peço que me acolha sem julgar-me.
Queria pedir a autorização para poder reescrever a minha história de novo.
Não queria uma história perfeita apenas queria ter mais força e coragem na minha história.
A coragem de não desistir de tudo tão fácil, de tudo ao ponto de questionar se a minha existência é válida.
Vivo nessa necessidade constante de ser aceite sem conhecer-me bem.
Tenho perfeita noção de que eu não me conheço o suficiente apenas sei que o meu coração ainda é puro, dizem os que me rodeiam.
Parece que não vejo maldade em nada.
Meu coração permanece puro mesmo que tenha sido traído e quebrado várias vezes.
Quando eu penso que nunca vou conseguir curar o mal do meu passado, eu consigo, mas mesmo assim não acredito em mim, não acredito na minha força, não acredito no amor que devia ter por mim, não acredito nas coisas que vejo nem que oiço apenas insisto em mais uma vez desistir.


sábado, abril 17, 2021

Não me empurrem mais para o fundo

Pela primeira vez na minha vida, eu gostaria de entrar dentro de uma sala, respirar fundo, sorrir e não ter medo de destruir todas as minhas expectativas.
Expectativas que eu crio sem pensar que acabarei magoada, acabo arrastando mais um pouco para o fundo do meu poço, sem poder trazer ninguém comigo.
Acho que nem sou capaz de arrastar ninguém para esta mesma escuridão que estou.

 Uma escuridão que pode ser partilhada de sorrisos, saber aconselhar os outros, saber ouvir os outros, ter um momento de palhaçada esquecendo por completo, o quanto eu estou quebrada por dentro.
Sem ser ouvida, sem ouvirem o meu interior gritando por ajuda.
Não posso pedir ajuda a ninguém, ninguém vai olhar para dentro da minha alma como eu a vejo, talvez nem consigo tentar olhar para dentro dela mesmo que seja em frente ao espelho.
As minhas expectativas estão no instante em que eu penso que as pessoas irão olhar para mim, apenas para mim, mas sem olhar no meu corpo, um corpo que ajuda-me a mover e a sobreviver á minha fraca alma que não consegue mais controlar ele.
Queria receber um conforto de saber que as pessoas estão ali para saber como estou, como a minha vida vai andando, se estou bem de saúde, estou muito enganada...
Caí na realidade, e apercebi-me que o meu ser é mais importante que o meu corpo, o meu corpo virou um centro de comentários depreciativos.
Será que não seria mais fácil não ouvir ninguém?
Claro que sim!
Mas eu estou numa luta em que odeio o que vejo, quero aceitar-me e não sei por onde começar, só não quero fazer nada maluco contra mim só para alcançar o corpo perfeito.
No meio disto tudo, eu só quero entrar numa sala cheia de amor, conforto, copos para brindar, boas notícias, brincadeiras internas e ensinamentos que poderei levar para o resto da minha vida.
Não quero que o meu corpo seja mais importante que eu, eu sou alguém, alguém querendo curar as minhas frustrações e feridas ainda abertas.
Não me empurrem mais para o fundo!

domingo, fevereiro 28, 2021

Cada um do seu jeito


Cada um com uma essência única.
Cada um com uma forma diferente de falar.
Cada um com um jeito de sorrir, e gargalhar com gosto das coisas que nos fazem bem.
Cada um fazendo um pelo o outro com um propósito diferente, sem pedir nada de volta.
Cada um com um jeito de sofrer mais doloroso talvez pelo passado batalhador e sombrio.
Cada um com um jeito diferente de chegar a um orgasmo quando estimulamos dois corpos desconhecidos.
Cada um com um jeito de permanecer em silêncio.
Cada um com um jeito de saber reconhecer quando está errado mesmo que muitas vezes seja apenas para fazer as pazes.
Cada um com um jeito específico para chegar perto um do outro e pedir algo.
Cada um carregando um amor tão cheio, tão intenso, tão bom que perdemos o medo de amar intensamente, talvez um arrependimento para quem nos entregamos antes.
Cada um com um olhar cheio de história, todos os olhares tem uma história, todos temos uma história para contar, e cada se expressando do seu jeito.
Eu nem quero saber tudo de cada um, quero descobrir por todos estes anos a pessoa que tenho á minha frente.
EVANGELINE © 2016 | Template by Blogs & Lattes