quarta-feira, janeiro 03, 2018

O que somos?



Estou sentada em frente ao meu computador com a nossa conversa aberta no chat do Messenger e eu estou a pensar seriamente se devo continuar a falar contigo, se devo continuar a escrever para alguém que aparentemente não dá importância á minha existência.
Eu pensei que fossêmos amigos ou ficantes não sei, parece que andei estes meses todos a contaminar a minha mente com pensamentos, vontades e planos para poder estar contigo.
Tenho até vergonha das coisas que já te disse, chego a pensar que estou completamente destruída emocionalmente por ter caído na tentação de pensar que estarias sempre aqui para mim.
Tenho andado com a mente esgotada por ter usado em coisas que não iam dar a lado nenhum, perdi horas a escrever para ti só para sentir-me protegida pelo teu carinho e pelo teu abraço.
Continuo sentada tocando nas teclas do meu teclado como se tocasse um piano, e vejo aquelas reticências do chat subindo e descendo sem saber se realmente eu valho a pena na tua vida.
Será que eu tenho o mesmo valor para ti?
Não deve passar-te pela mente quantas vezes deitei-me na minha cama passando as mãos pelo corpo para poder satisfazer, mas tudo o que eu mais queria era ter-te aqui e poder clarear melhor a tela mais bonita que eu tinha pintada com a tua imagem.
Fico meio pasmada como permiti a tua ousadia para falares sobre os meus lábios como os mais bonitos que algum dia já viste, como te perdeste no meu olhar e como transmitiste que não havia mais nenhuma mulher na tua vida a não ser eu, permiti que os meus abraços se envolvessem no teu dia-a-dia como mais uma camada da tua pele.
Sinto-me usada, perdida sem perceber do porquê de não voltares para mim porque tudo o que tive foi paciência, mas sinto-me humilhada completamente destroçada.
Eu precisava de ti, precisava de passar a mão no teu cabelo o dia inteiro, precisava de imaginar-te nu sem dó na minha cama e inspirar-me em ti para ser feliz.
Estou demasiado estúpida e carente para não conseguir perceber que fui só mais uma peça no teu tabuleiro de damas cheio de mulheres fortes e bonitas que sabes tão bem escolher as melhores jogadas para arrassares com os seus sentimentos.
Eu não deveria ter sentimentos deveria ser como o gelo que queima o meu coração e dá-me cada vez mais a certeza que com a tua ausência deixei de ver as manhãs cheias de sol e um céu azul que cantava para mim.
Continuo aqui sentada vendo a tua fotografia dizendo para mim que talvez nunca serei capaz de dizer-te que não posso fazer mais o que estou a fazer comigo.
Estive horas, dias e meses sentada numa cadeira pouco confortável a falar com um estranho que fazia com que eu quisesse estar com ele, que eu abandonasse os nervos dos meus músculos e corresse atrás de dele nas tardes de verão para ver-me de vestido assim como as minhas veias só poderiam estar vivas com o seu ar.
Perturbada com a minha inocência hoje não irei escrever-te, irei deixar-te a minha espera...

2 comentários

  1. Espero que tudo melhore!

    https://quase-italiana.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Joana este é só um texto vindo das minhas ideias, eu estou bem não quero que os meus seguidores pensem que estou mal. Beijinhos!

      Eliminar