quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Entre estrelas e galáxias



São 5 da manhã e acordei questionando outra vez o porquê de eu estar aqui e se algum dia mandassem para outro planeta?
Por momento senti que estava a determinada a deixar tudo e procurar por outras aventuras e momentos indiscutíveis.
Nas estrelas e nas galáxias eu queria abraçar-te, mas não conseguia e queria descobrir-te ainda mais, queria que todas aquelas estrelas fossem como tu pois nenhuma delas brilha como tu.
Difícil é uma galáxia ter um espaço tão profundo e sem fim quanto ao teu coração, á existência de quanta vontade de viver, á paciência e á abundância de bondade.
Nenhuma estrela nem nenhuma galáxia consegue mexer tanto comigo e querer assim como eu te quero, a não ser que o espaço invente outra só para nós.
Nessa escuridão procuro o teu olhar e já nem consigo querer voltar á terra por não conseguir esquecer os olhos de avelâ que fazem contraste com o nosso planeta saturno.
Não consigo parar de admirá-lo e tentar compará-lo, mas os teus olhos são os mais bonitos.
Perco-me nas coisas mais simples e fáceis de falar, mas falar de ti é como contar todas as estrelas do céu em que chegas a perder a conta realmente tenho muitas e muitas mais coisas para dizer-te.
 Num espaço onde não há gravidade,não há limites!


nono

Sem comentários:

Enviar um comentário