terça-feira, 12 de maio de 2015

Eu enxerguei


Enxerguei a poucos dias que era contigo que deveria passar o resto da minha vida.
Digo isso porque não estás comigo como sempre escolheste experimentar e fazer coisas que não fazem o teu tipo porque eu faço.
Eu sou tua, eu sim sou o teu tipo.
Sempre serei a única que vira a tua cabeça do avesso, que torno as nossas discussões viradas para o Romance talvez com algumas lágrimas e gargalhadas depois.

Quem mais tocou-te assim que acordasses cheio de apetites?
Mais ninguém!

Por vezes apetece-me rogar-te pragas por viver um amor tão obsessivo, acho que penso assim de forma tão obsessiva e violenta porque o meu primeiro amor, o primeiro que rapaz que entreguei-me, destruiu-me por dentro e por fora.
Fora as coisas que já tivera ensinado para aprender a conquistar o que queria, mas ele destruiu-me até hoje, estou mais adulta não penso nele, mas numa coisa és parecido com ele.
Vocês fazem-me amar mais do que deveria porque vocês não fizeram o mesmo.
É dessas coisas tão simples que enxergo quando estou sóbria e sozinha.
Não entendo como consegues encher de sentimento e vontades pecaminosas quando deveria haver distância ou uma barreira de todas estas coisas.
Só não me obrigues a não apegar-me a ti!

nono

Sem comentários:

Enviar um comentário