quarta-feira, 15 de abril de 2015

És só mais uma fantasia - Episódio 5

Hoje coloquei o meu vestido florido cor de rosa de saia rodada, pretendo espalhar um pouco da minha alegria visto que conheci ontem alguém que também gosta de livros.
Sinceramente eu quero mesmo conhecer o Valentim, ele tem algo que mexe comigo, mas de certeza que é somente a inteligência dele que atrai.
São 15 horas e vou voltar a descer até aquele café, ahhh se eu não fosse a Kinara não fazia isto, acho que preferia estar na cama, com chocolates e panquecas a ver um filme ou de macacão a pintar quadros.
Acabo de chegar e sento-me na mesma mesa onde estavámos juntos e lá vejo o rapaz moreninho a entrar:
- Olá Valentim, estás bem? - respondi aquela animação meio sinistra
- Olá Kinara, sempre gira, gosto de ver-te com essa cor, dá-te mais brilho.
- Hahaha Valentim, agora ganhaste, sim estou bem e obrigada pelo elogio.
- Bom Kinara eu hoje não pretendia ficar aqui especado a olhar para ti e o teu vestido Rosa, logo vamos para um sítio que eu acho que vais gostar
- Ok para onde levares eu vou! - respondi entusiasmada com o convite
Confio no Valentim levar-me a um sítio que desconheço, mas assim que chego os meus olhos quase saiem da minha cara.
Ele trouxe-me á Galeria de Gustave Loon, são os meus quadros favoritos, não sei mas admiro aqueles quadros cheios de confusão que só eu percebo as cores e a história.
Fiquei totalmente especada a olhar para um quadro e veio tantos pensamentos e desejos.
O meu corpo congela e alguém dá-me a mão, um calor dilacera o peito.
Se pudesse descrever minha história e meus desejos seria dentro daqueles quadros em que faço amor com a minha mente, em que grito o nome do meu subconsciente.
Ele empurra-me como se não sentisse e puxa-me como se desejasse e amasse duas ou três vezes por semana, ele anda por debaixo da minha sombra que acompanha todas as minhas tristezas.
Continuo a não apaixonar por ele, mas não desisto destes segredos que só eu e ele temos, ele rejeita-me tanto e como tem na palma da sua mão eu volto sempre a pensar nele e acostumar com a ideia.
Entretanto, enquanto andavámos pela Galeria o Valentim notou que eu estava bastante calada e perguntou:
- Kinara não queres estar aqui? Não gostas?
- Não é exactamente isso, Valentim, tu nunca sentiste como se tivesses algo ou alguém a comandar a tua consciência?
- Mas porquê essa pergunta andas meio melancólica, ve lá se não tornas-te numa Lana Del Rey kkk!
- Que graça! Esquecendo o que eu disse, já reparaste no pormenor deste quadro?- respondi entrando com uma outra conversa.
- Bom eu aprecio arte, mas este quadro é todo azul.
- Não sentes algo quando vês esta cor?
- Paz, pureza, alegria, sei lá é uma cor tão profunda que leva a cada pessoa sentir algo diferente

Quando estou a ouvir a explicação do Valentim olhando para os lados vi o Jonathan, ohhhh não!

Continua....

nono

Sem comentários:

Enviar um comentário