sábado, 28 de março de 2015

Viagem n.2- Angola




Foi a minha segunda viagem e foi a Angola.
Começou exactamente quando viajei na mesma classe que o Anselmo Ralph e fui logo toda assanhada falar com ele.
Não tenho nada contra Angola sinceramente eu senti e vi muita coisa que as pessoas talvez não dão tanta importância.
Eu vi padrões africanos, eu vi como é estar em família de forma pacífica, eu provei tanta variedade de frutas que nunca na minha vida esquecerei tal sabor, tirei tantas fotografias a mera realidade de Angola, sim porque também apanhei diversos buracos nas estradas, apanhei trânsitos enormes e o pó que toda gente fala.
Andei de candungueiro e foi uma experiência engraçada, eu ri a viagem inteira, é que passasse muita coisa lá dentro e num banco de 4 lugares iamos 6, enfim.
Mesmo isso não sendo o mais importante eu estava em Angola e não atrás de uma televisão a pensar como seria andar por lá, em ouvir certas coisas na rua que davam piada.
As pessoas lá são diferentes são simpáticas e não fazem diferenças, somos todos iguais.
Dentro desta experiência estive com os meus tios que para mim era como pais e sempre que o meu tio pudesse levava-me para uma casa de campo onde eu ficava por lá a dançar e a sentir que realmente estava em África,
Lembro de eu mal abrir os olhos sentia o sol a queimar a pele, lá o calor é imcomparável com o de Portugal, e lá também apanhei chuva e a chuva de lá é tão quente que dá vontade de ficar debaixo dela.
Nada melhor do que passar o natal e ano novo num sítio tão africano, em que danças numa discoteca pensando que está fechada e quando olhas para cima vez o céu e transpiras como se tivesses a tomar um banho de chuva.
Angola foi uma das viagens que serviu muito para descobrir quem era eu realmente e fazer uma lavagem cerebral dos acontecimentos e energias menos positivas na minha vida.















nono

Sem comentários:

Enviar um comentário