quinta-feira, outubro 25, 2018

A culpa deve ser minha...




Não sei se devo continuar a carregar a culpa de não ter feito nada, de não saber se era o momento certo, e se a minha vida hoje poderia estar bem diferente por causa de uma única decisão.
Não sei se vou ter viver pensando no se eu pudesse ou fizesse...
A dor é grande e está a sufocar-me com toda inexperiência de na devida altura não ter sabido ter agido da melhor maneira.
Sinto como se todas as consequências que tem acontecido estivessem debruçadas perante toda a maldade que tem atingido, faz-me pensar se será que mereço todo esse sofrimento e desgosto.
Queria sorrir, mas o ardor nos meus olhos por chorar tanto não deixam-me ver um pouco da luz da felicidade que sobrava para mim.
Era tão pouca, mas todas as tempestades estão a consumir todas as minhas forças.
Será chegou a minha hora de desistir?
Como se não existisse qualquer emoção e vontade de polir todas as arestas da minha tristeza.
Por uma única decisão eu estaria rodeada de amor, conforto e tranquilidade algo que nunca mais consegui alcançar.
Estaria abraçada ao aroma de uma casa de verdade e a um abraço amistoso enquanto que sinto que agora perdi tudo e que talvez não devo ser merecedora de um pouco da chamada felicidade.
Faz-me acreditar que eu mereço tudo isto.

sábado, outubro 20, 2018

Escolhida para sofrer



Levo as mãos para o meu rosto porque eu não quero que vejam que a minha pele negra carregada de energia manchada pela dor que tanto liberta a frustação.
Carrego um pensamento desgotoso misturado com a dor que ainda não conseguiu desaparecer comigo, mas que eu sinto a sua chegada.
Falta-me tão pouco para desistir de caminhar para frente e deixar o rasto das minhas passadas apressadas pensando que ao andar mais depressa irei livrar-me do pânico que estou a viver.
Ninguém quer cair no fundo da mente pensando que será tão fácil fugir dela como fugimos do tempo chuvoso e trovosos abrigados num lugar ou talvez no colo de alguém.
O colo desse alguém até pode estar ali para mim, mas eu saber que ela não poderá fazer muito mais enquanto eu estiver afogar junto com o que ainda falta dizer e escrever.
Sinto todo o meu corpo arrepiado e vulnerável ao que os pensamentos dizem que talvez sou mesmo um fracasso, alguém fraco, alguém que cede facilmente e alguém que não recupera da dor.
Tudo parece um completo pesadelo mesmo quando algumas coisas dão certo na minha vida.
Aí olho no espelho e desafio o meu coração a deixar-me ser feliz, desafio-o a gritar com toda a desgraça explosiva que parece querer rasgar os meus lábios com a força que eu faço para não chorar mais.
Prefiro que essa força que resta dentro de mim ainda seja o suficiente para eu poder salvar-me de não dar o gosto que acho que o mundo precisa.
Consolo os meus braços com esse frio, esse lugar sombrio em que entrei com muitos empurrões.
Eu tenho medo de estar aqui, ser a rapariga errada e que não deveria ter sido a escolhida para sofrer com o que não parece ter importância.
Os meus olhos castanhos sangram pela esperança e a paz que eu preciso que se instale dentro de mim durante uma eternidade.
Eu não quero esconder-me mais apenas quero estar quieta, livre e feliz.

sexta-feira, outubro 19, 2018

Prioridades




Eu tenho um defeito, um defeito que luto para melhorar e talvez poder mostrar que sou uma pessoa melhor, talvez mostrar não seja esse o grande objectivo, mas sim ser uma pessoa melhor.
Eu sou uma pessoa que gosta muito de estar em casa também gosto de sair para dançar, comer e beber, mas uma das minhas coisas favoritas é mesmo ficar por casa. 
Por vezes, crio certas atividades para manter-me ocupada ou fazer pelo menos o meu dia valer a pena.
E tenho outros dias em que apetece-me ficar a fazer um scroll down infinito do Pinterest, essa é a uma app bastante viciante para mim porque está sempre a mexer com a minha criatividade, mas ao mesmo mexe com a minha preguiça de ficar um dia inteiro deitada também porque na maior parte do tempo estou cansada.
Ás vezes por não querer fazer nada acabo por sentir culpada e iniciar uma luta na minha mente por não dar tanta atenção á minha família, ir ao ginásio com mais frequência, acabar a carta apesar de eu estar mais dedicada e hoje ter realizado o que eu mais queria que era fazer o exame de código e passar com zero, e postar mais no blog, eu tenho um sonho de ter um livro meu nas bancadas das livrarias, eu escrevo tanto, mas acabo por não desenvolver nada por medo e preguiça.
Tenho uma lista e tanto de rascunhos de posts que poderiam tornar o meu blog uma página com mais visitas, mas eu vou adiando dia após dia.
Penso que tudo isso seja falta de disciplina e um certo desânimo para fazer isso, mas também sinto que não tem nada de mal alguém sentir-se assim apesar de ser algo que tem de ser mudado, mas poder estar aqui a escrever este post deixa-me um pouco mais aliviada e também começo a clarificar mais sobre estes assuntos.
Tenho tentado criar certas metas que eu possa realizar agora e não metas que estejam bem longe de mim porque assim acabo por perder logo a vontade de tudo quando avisto um objectivo demasiado longe.
Eu espero que este meu desabafo tenha vos confortado de certa forma se estiver a passar pelo mesmo ou qual é a vossa opinião.


domingo, outubro 14, 2018

5 coisas que aprendi em 25 anos




Olá grandes sonhadores/as!
Dia 12 de Outubro foi o dia do meu aniversário, fiz 25 anos acho que esta era a idade que achava que nunca iria alcançar , e que até dá-me um certo medo de saber que estou mesmo a ficar mais velha e a ter certos comportamentos e pensamentos de alguém que está a transformar-me num adulto.
Festejei mais um ano de aniversário a trabalhar, e desta vez a fazer o turno da noite e até foi uma noite bem divertida com os meus colegas que de qualquer maneira conseguem arrancar sorrisos e tornar um dia(neste caso, noite) melhor.
Este ano simplesmente pensei que não seriam 25 coisas que eu iria colocar aqui no meu blog porque muita coisa não mudou por aqui, mas reduzi para 5 coisas.
Vamos começar:

1- Confiança, este ano foi um ano que conheci muitas pessoas e criei muitos laços, mas também foi um ano que perdi muitos laços com outras pessoas porque quando a nossa amizade foi colocada á prova eu percebi nas pessoas em que deveria realmente confiar ou não confiar mesmo.
Eu sou alguém que confia demasiado rápido nas pessoas, e ás vezes penso que ao contar certas coisas da minha vida elas saberam guardar segredo, mas infelizmente aprendi da pior forma.
Desta vez, quero começar este novo capítulo guardando as coisas mais para mim principalmente as que não deveriam sair de casa.

2- Paciência, Este ano aprendi a ter gosto por plantas e a querer cuidar delas, e até tenho algumas por casa.
Com elas aprendi a lição de ter mais paciência, eu posso plantar algo, mas não posso esperar que ela brote logo de um dia para o outro enquanto isso tenho de cuidar do que tenho e ir pacientemente regando elas até florescer algo, e aí poderei desfrutar disso e não querer tudo no momento.

3- Família, eu sempre fui distraída neste ponto e mal colocava a minha família como prioridade quando deveria, mas tenho feito o esforço de visitar mais as pessoas que gosto porque eu sei que não estamos cá todos para sempre,  e que é importante construirmos momentos e memórias bonitas com essas pessoas nem que seja por poucos minutos do meu dia.

4- Amor, este ano a minha relação foi colocada á prova também, mas é preciso duas pessoas quererem estar numa relação, e assim foi feito com muitas decisões e sentimento pelo meio que agora estou bem com a pessoa que gosto e que este ano foi o ano que fizemos muitas coisas que nunca tinhamos feito juntos mesmo sabendo que uma das coisas que mais gostamos de fazer juntos é comer, claro.
Mas juntos temos estado mais focados nos nossos objetivos sempre dando uma força um ao outro talvez era o que nós precisavámos, e lá estamos a 3 anos juntos. ❤️

5- Trabalho, eu gosto do meu trabalho, claro que tenho dias que odeio, mas tenho andado com outras ideias em relação crescer profissionalmente e poder ter mais algo no meu currículo.
Este ano pretendo realizar alguma parte dela mesmo que não sejam todas as ideias que eu tenho.
Acho que devo estudar um pouco e expandir os meus horizontes e informar-me mais e iremos ver se tudo corre bem.


Agradeço a todos aqueles que ainda leêm o meu blog, que suportam as minhas ideias e espero que este novo capítulo da minha vida traga mais paz e que faça refletir mais vezes no que realmente é importante.

sábado, outubro 06, 2018

Demasiado envolvida



Estou demasiado envolvida contigo para ficar aqui na tua porta com a tempestade que se passa aqui fora sem poder ver-te.
Estou demasiada envolvida contigo para não viver agarrada ao meu telemóvel por saber que irei receber uma chamada tua.
Estou demasiado envolvida contigo ao ponto de não ter mais temas que poderíamos falar porque tudo o que eu mais quero é ficar a conversar contigo do nada.
Estou demasiado apaixonada para apenas ficar olhando nos teus olhos, escutar esse teu jeito bonito de tocar a guitarra sem querer entrar na tua cama e tocar no teu corpo.
Parece que estou sempre a pensar em sexo, mas também quero estar de mãos dadas contigo sentada num jardim escutando as ondas do mar batendo nas rochas, vendo pessoas andarem de bicicletas, bebendo cairpirinhas e partilhando as suas últimas aventuras enquanto eu desfruto da tua beleza.
Estou demasiado envolvida contigo para querer partilhar todos os nascer de sol e pôr de sol, sim porque sempre será mais um dia perto de ti e próxima de um futuro do teu lado.
Não deves saber o que acho mais bonito em ti é desse teu sorriso fechado, radiante, meio envergonhado que só eu consigo admirá-lo e continuar apaixonada por ele.
Um dia quero sentar no parapeito da minha janela, ter um gato a passar pelas minhas pernas, olhar no céu azul e escrever um livro, acabá-lo, e poder dizer que tenho tantas páginas recheados do meu amor por ti e o melhor deste livro é o meu envolvimento numa história de amor contigo.