terça-feira, dezembro 12, 2017

Não faça isso, não me ame!


Vivi demasiado apegada a essa vontade de saciar os meus desejos pensando que irias pernoitar por um tempo indefinido.
A queda que acabei por dar durante a minha vida foi entre as expectativas e a realidade foi intensa não tão intensa ao ponto de quebrar-me por dentro.
Por momentos eu apaixonei-me por ti, mostrei-me pronta amar-te, percorri todas os campos de milho que nos separavam e tiravam-nos o tempo de simplesmente estar passando a mão no teu cabelo desmanchando todos os nós.
Estive tão perto de pedir-te para seres meu, mas talvez não é a melhor das opções.
Talvez irei agir de forma menos egoísta e irei deixar-te ir embora sem qualquer explicação, ou a melhor delas todas, não me ames.
Não te entregues aos meus lábios que estão sedentos pelos teus, não me abraces quando a minha respiração só quer viver no teu pescoço, não acordes de noite com telefonemas dizendo que estás a pensando em mim, que precisas de mim, que precisas de uma peça de roupa minha para confortares essa vontade de estarmos juntos.
Estarmos juntos fisicamente, mas separados psicologicamente.
Ter de seguir um caminho sem poder caminhar numa praia de mãos dadas contigo para poder vermos o pôr do sol e acabarmos a noite em amor é triste, mas apartir do dia em que soube que não poderiamos caminhar mais juntos caí de um precipício e acabei na minha cama lavada em lágrimas pensando que não teria forças para seguir em frente.
Na verdade, eu não posso amar-te nem quero que me ames.
Quero que sejas feliz por tudo o que já vivemos juntos.

2 comentários

  1. Os teus textos fazem sempre pensar tanto... Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Há coisas que não têm de ser...
    E depois vivemos aquilo que a vida nos dá. Gostei.

    ResponderEliminar