sexta-feira, 25 de março de 2016

Doce Libertação



Sempre fui uma rapariga que guardou as coisas para si.
Pensamentos, ideias, raiva, tudo com medo de falar, de poder explicar como é que eu vejo a vida, o mundo, as pessoas a minha volta.
Sempre ouvi e guardei tudo para mim, e com o passar dos anos isso foi refletindo-se na minha maneira de agir e nos meus comportamentos.
Sempre fui meio acanhada e tive dificuldade até em lidar com as pessoas numa simples conversa coisa que ainda não mudou muito até agora.
O medo era falar e dizerem que não podia pensar aquele tipo de coisas porque para eles não estava certo.
Eu nunca fui eu própria até o dia em que decidi que eu podia ser a Noemi que quisesse e que se eu lutasse pelo o que eu queria chegaria ao topo.
Provaria a mim própria que eu consegui e não desisti, muitas vezes quis, mas não o fiz porque no meio disso os meus ditos amigos e amigas deixarem de falar comigo por pensar diferente como se eu tivesse comido um crime.
Deixei tudo fluir e dei cor ao meu mundo.
Libertei-me e sei que agora sou mais forte e firme no que realmente quero para mim, não foi fácil, mas não foi impossível.
nono

Sem comentários:

Enviar um comentário