terça-feira, 24 de novembro de 2015

Volta para a cama



Cheguei do trabalho de mais um dia em que não consigo concentrar em mais nada a não ser no trabalho.
Devido á crise de vida tivemos que optar por trabalhar em horários diferentes, eu de manhã e tu de noite e era de noite que os nossos corpos entravam em conexão.
Mesmo que tivesses feito algo que tivesse magoado muito naquele dia sinceramente deixava de ter importância porque o queria mesmo era despir-me dum mundo vazio e ser amada pelo teu corpo nu.
Aquele corpo que eu desejava enquanto fazíamos amor fazia-me esquecer as músicas de fundo que punhamos para criar clima, esquecia como era fazer amor até sentir a tua pele.
Sempre pedi para amarmos nesta cama e naquela cama devia sempre onde deviámos nos amar e nunca virarmos as costas quando surge a raiva.
Eu quero amar-te na nossa cama, não quero apenas noite de fodas, mas sim levar-te a uma outra dimensão onde os orgasmos são o ápice da noite.
Faço-te lembrar que na noite passada não nos amamos, mas descarregamos mais algumas frustações. Eu gritei tanto contigo, bati contra paredes e portas e senti que fosses desistir daquilo tudo e deixar-me gritar com o silêncio.
Aproximaste de mim quando pensei que fosses dizer que ias fazer as malas e ir embora, mas não, eu estava enganada.
Enquanto eu penso que és tu que sacrificas para tudo dar certo, sou eu que tenho de parar de gritar e espermear por não acharmos o mesmo ou sentires que não importo contigo, mas quis parar e nem ouvir-te, eu quis escutar o que tinhas para dizer.
Eu decidi não dizer-te quando se notaria uma diferença em mim, eu decidi mudar até que sentisses algo.
Tudo porque gosto de ver-te sorrir e adoro quando dizes sou chata e até tens razão.
Nesta noite pediste para voltar para a cama , a cama onde deviámos usar o Kamasutra, onde deviamos amar-nos, beijar-nos e fornicarmos , e deixar todo o mundo ouvir o teu nome e o quanto fazes feliz .
Difícil é desistir de amar-te porque nunca mais vou amar da forma como eu amo-te, entregando o meu amor só para ti.
E no caminho do trabalho eu sonho que tudo ficará bem entre nós  apesar de não ser tudo um mar de rosas como so livros fazem transparecer , mas tenho sempre a esperança e tenho também o meu perdão por tudo.
Frente a frente a ti, a minha realidade és tu e é por isso, que não vou sair desta cama , vou deixar-te adormecer, poder mexer no teu cabelo porque daqui a pouco tenho de ir trabalhar e abandonar o nosso conforto.
Abandonar o nosso bem-estar e enfrentar todas as adversidades do dia-a-dia posso ir aborrecida ou sentido cada vez mais apaixonada  e que irei sempre pensar em ti.

nono


Sem comentários:

Enviar um comentário