sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Sinto-me observada

É tolice minha sentir-me observada, mas na maior parte do tempo tenho a mania da perseguição e talvez as pessoas nem estão a pensar em mim e muito menos no que devo fazer da vida ou como decidi vestir ou maquear-me hoje.
Por vezes, eu não estou a olhar nas pessoas, mas sinto a presença delas principalmente quando sei que estou a ser observada e muitas das vezes acerto sim e estão a olhar para mim.
A forma de eu sentir-me observada é porque toda a minha vida tive pessoas que  diziam o que eu não era e parece que sempre fico a pensar na próxima pessoa que irão inventar ou próximo boato.
Admito que acabei por tornar a minha rotina semanal meio chata por querer esconder das pessoas e até que o meu nome saísse da boca das pessoas ou até a minha imagem.
Mas da minha parte ser observada não é de todo uma coisa negativa.
Existem coisas boas como os pequenos elogios vindo de estranhos , eles não conhecem-me, nem minha história de vida, eles tem apenas um objectivo de dizer-me qual o penteado gostaram mais de ver.
Como é que consigo trançar o cabelo? Como é que coloco as turbantes?
Ou ser observada por um ser apaixonado e não saber e olhar para ele e sorrir como se não passasse nada.
São essas coisas positivas que acabo por esquecer como a mania da perseguição.
Ensinaram-me que nunca devo pensar pelas pessoas é certo nunca vir a saber o que pensam.



nono

Sem comentários:

Enviar um comentário