domingo, 12 de julho de 2015

És só mais uma fantasia #12

Mesmo eles não ficando por ali a conversa prolongou-se por 24 horas, eles deixaram de fazer tudo que era normal entre eles, entretanto Isaque disse:
- Nunca pensei conseguerias atender o telemóvel ou mesmo falar comigo.- disse Isaque
- Díficil é encontrar alguém que ligue para mim e queira apenas conversar, sinto-me sozinha - disse Kinara de forma desolada
 - O que estás a fazer? - perguntou Isaque
- Estava a jantar e tu ligaste-me de seguida - respondeu Kinara
- Assim que Kinara conversava com ele sentia como se a voz estivesse de fundo na sua mente, ela apenas ouvia o seu subconsciente a desvanecer de sua mente, foi como um acontecimento pouco improvável de tantas vezes que ela tentou-se libertar dele talvez foi agora que foi-se.
O subconsciente do Kinara era como um desvio para ela seguir os sonhos, era como uma pessoa que dizia que gostava dele, que ela o fazia boa pessoa logo não suportaria ela ficar com outro e no momento menos improvável ele desaparece, talvez escolheu atormentar outra alma, mas foi-se.
Kinara tinha Isaque alguém real que só queria conversar com ela, talvez que ela fosse o seu braço direito, deve entender que ele já sentia atraída pelo pensamento dele.
Pode uma simples personalidade ser o passo seguinte para uma relação?
Direi que sim, hoje em dia, as relações amorosas tem se tornado muito superficiais, as pessoas procuram um bom corpo para fazer sexo e não uma mente com juízo que lhes dize que estão errados, estão certos , o caminho certo a percorrer, alguém que não elogia os músculos, as pernas, o rabo, os abdominais, mas repito mais uma vez o pensamento e a personalidade.
Sendo assim Isaque perguntou a Kinara :
- Já viste a quantas horas falamos , de tanta coisa, já largamos tantas gargalhadas e lágrimas.
É raro abrir-me com alguém assim, muitas mulheres olham para o meu físico e não como posso agradar de outra forma.
Espero que estas conversas valham a pena, apesar de ser um nutricionista que vende Xarope de Goiaba.
- Que piada, Isaque, eu sou uma rapariga ingênua e adulta que caí nas graças dos rapazes talvez pensando que um dia irão ouvir, mas só querem o meu corpo para além das coisas que já sabes que faço, nada importa, o que finalmente importa é que sou livre.- responde Kinara suspirando no final do seu discurso.
- Fogo, já estou atrasada para faculdade, perdi a noção do tempo e dos dias, hoje tenho um trabalho sobre ambiente para apresentar.
- Desculpa se estou incomodar, despacho-te então. - responde Isaque como se não quisesse deixar Kinara ir embora.
- Incomodaste no primeiro dia, mas já estou habituada a tua voz.
- Kinara fizeste um elogio finalmente?! - perguntou Isaque
- Tenho de ir ... Bip...Bip...Bip
Continua...

nono

Sem comentários:

Enviar um comentário