sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Uma família, uma religião

Hoje vou falar de famílias, não famílias de sangue, mas sim famílias que fiz a minha vida inteira. Conheci pessoas como todos conhecem, criei laços com elas, fiz promessas com cada uma delas, até prometi coisas a Deus que não sabia se um dia iria cumprir.
Uma religião não é apenas estarmos lá a ouvir o que as escrituras dizem e saber da vontade de Deus.
Basta tu escolheres um caminho diferente todas as pessoas afastam-se e deixam de falar como se nunca tivessem conhecido, passam por ti na rua como um estranho para manter a sua integridade, poderem julgar tua vida alheia sem saberem do teu novo eu ou crescimento de estatuto social.
São muitos deles os primeiros a espera de verem se erras na vida para dizerem que estavam certos a tua saída da religião e por saíres és considerado como os outros, ou seja, és colocado no mesmo saco.
Dado ao meu conhecimento não esqueci as passagens biblícas quanto ao próximo! 
Nos olhos de alguns vejo carinho, talvez um pedido para que volte a ser a pessoa que era e no sítio onde estava, mas todos viraram as costas e nada será o mesmo.
Iria começar do zero assim como fiz aqui fora. Mas sou feliz aqui porque não faço maldade a ninguém a não ser a mim mesma, se tiver que dar contas a Deus isso é comigo e com ele.

Sem comentários:

Enviar um comentário